top of page

Ser Voluntário

“Fora da caridade não há salvação”.



Em 1985, no Brasil, foi criado o Dia Nacional do Voluntário, que é atualmente comemorado em 28 de agosto. Segundo definição das Nações Unidas, “o voluntário é o jovem ou o adulto que, devido a seu interesse pessoal e ao seu espírito cívico, dedica parte do seu tempo, sem remuneração alguma, a diversas formas de atividades, organizadas ou não, de bem-estar social ou outros campos…” .

o homem está inserido em duas dimensões: o seu mundo interior e sua abertura para o mundo ou universo que o contém.

Seu mundo interior é a expressão de sua vida mental consciente, de sua capacidade de interagir consigo mesmo, por meios de seus pensamentos.

Sua abertura para o que existe fora de seu mundo mental é a expressão de sua capacidade de perceber e modificar o que existe fora e independente de seus próprios pensamentos, de interagir com o que se encontra fora de sua consciência, com a realidade que o cerca.

O pensar e o querer são as faculdades ativas do homem, o sentir é a faculdade passiva. Nesse sentido, podemos dizer que o pensar e o querer partem do homem, dependem diretamente de sua vontade. O sentir acontece nele, não depende de sua vontade. Por meio da razão, o homem raciocina, argumenta, representa, imagina, idealiza, calcula, julga, etc. A ciência, a matemática e a filosofia são seus frutos mais importantes.

Pela vontade, o homem age, decide, realiza, executa uma ação, transformando o mundo e a sociedade continuamente.

Nesse reino da vontade, o homem encontra o dever. O dever é a obrigação moral do homem para consigo e para com o seu semelhante. Por meio da razão, o homem avalia, julga ou analisa o caráter ou a conduta do seu próximo.

Pelo sentimento, o homem recebe a ação do seu próximo.

"Como deve ser a minha ação para com o próximo?", a caridade responde: com benevolência.

“Não há quem não possa fazer o bem. Somente o egoísta nunca encontra ensejo de o praticar. Basta que se esteja em relações com outros homens para que se tenha ocasião de fazer o bem, e não há dia da existência que não ofereça, a quem não se ache cego pelo egoísmo, oportunidade de praticá-lo. Porque fazer o bem não consiste, para o homem, apenas em ser caridoso, mas em ser útil, na medida do possível, todas as vezes que o seu concurso venha a ser necessário.” (O Livro dos Espíritos > Parte terceira - Das leis morais > Capítulo I - Da lei divina ou natural > O bem e o mal > 643).

"Cada vez mais estamos conscientes que estudar é preciso, trabalhar é necessário e amar ao próximo é o menor caminho para chegar à Deus."


Fonte:https://www.ideak.com.br/blog/a-caridade-segundo-jesus-e-kardec-por-cosme-massi e https://espirito.org.br/artigos/voluntariado-espirita-3/


49 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page